Conquista da Mente

Instruções do Yoga

Após termos exercitado a respiração consciente, concentrado o foco no movimento respiratório no momento presente e assumido sua presença plena diante do corpo, dos pensamentos e da respiração autoconsciente, chega o momento de conquistar a mente.

Não é fácil o processo até aqui. Porém, é um processo e isto significa que uma fração conquistada em um dia, se somará a outra fração no dia seguinte. Vamos em frente desta forma: cinco, dez ou quinze minutos diários e chegaremos lá. Confie.

Embora seja difícil conquistar a mente, a dificuldade é simples: ela nos obedecerá ou nós a obedecermos.

Imagine um cavalo sem rédeas… isto é a mente que nos comanda; obedecemos a um cavalo sem rédeas. E podemos prever os risco disto. Mas, não queremos. Então, o que fazer?

Conquistar a mente é dar a ela uma ocupação que seja satisfatória e benéfica. Sim, ocupar. A mente desocupada é oficina de imaginação para comandar a consciência – nos comandar. Quanto damos uma ocupação válida à mente, ela passa a nos obedecer. Isto é simples. Este é o processo que resulta da meditação. 

No entanto, estamos falando de algo mais prático e imediato nestes Sete dias. Logo, devemos focar no processo de conquistar a mente de forma pragmática e racionalmente. Como? Através da respiração – simples.

Do mesmo modo que você chegou neste quanto dia das Instruções do Yoga, continuará. Não há mudanças. A continuidade e a repetição de um processo nos leva à maestria. Então, queremos a maestria da conquista da mente. Para isto, vamos seguir o mesmo processo: 

– respiração consciente por 1, 5, 10 ou 15 minutos (amplie à medida que você perceber que pode ir um pouco mais além em sua capacidade de se concentrar);

– foco no instante da respiração (não deixe a mente se desviar do momento que você respira);

– assuma a presença (não deixe nenhuma sensação, pensamento ou emoção passar sem ser observada pela consciência);

E incluir neste processo uma meditação direcionada. Você focará sua consciência (após ter se tornado natural para você estar consciente da respiração, do momento presente e de sua presença no momento da respiração) numa imagem que lhe traga uma forte emoção de amor, felicidade ou satisfação espiritual interior. Pode ser um lugar, uma pessoa, Deus ou um sentimento. O que lhe faz sentir plenamente você.

Isto ocorrerá gradualmente à medida que você se liberar dos condicionamentos presos ao corpo, às percepções sensoriais, aos pensamentos e às emoções. Quanto mais se identificar com o que você realmente é (uma centelha espiritual eterna), mais perderá a identificação com o que é ilusório e te faz sofrer, entristecer ou adoecer.

Continue firme na prática; e mesmo que você ainda não tenha superado a instrução do primeiro dias, não tem problema. Vá com calma e no seu rítmo, pois ele é seu e você deve seguir este seu ritmo com determinação, entusiasmo e paciência.

Vamos à nova etapa.

Aproveite e ouça o episódio deste artigo em nosso Podcast pelo Spotfy, Deezer ou pelo Google Podcast.

Become a Patron!